Notícias - COTHN – CC Reconhecido como Centro de Interface Tecnológica ao abrigo do Programa INTERFACE do Ministério da Economia

19/01/2018

O Programa INTERFACE tem como objetivo a valorização dos produtos portugueses através da inovação, do aumento da produtividade, da criação de valor e da incorporação de tecnologia nos processos produtivos das empresas nacionais. No seu conjunto, as iniciativas no âmbito do Programa INTERFACE pretendem acelerar a transferência de tecnologia das universidades para as empresas, potenciar a certificação dos produtos, aumentar a competitividade da economia portuguesa e das empresas nos mercados nacional e internacional.
A ANI (Agencia Nacional de Inovação) é responsável pelo processo de reconhecimento de Centros Interface.
Os Centros de Interface Tecnológico (CIT) são entidades de ligação entre as instituições de ensino superior e as empresas, que se dedicam à valorização de produtos e serviços e à transferência de tecnologia.
Nos termos da proposta da ANI, o Despacho nº10252/2017, de 24 de novembro, o COTHN-CC foi reconhecido como Centro Interface Tecnológica, o que nos dá acesso a um conjunto de apoio específicos: 
APOIO AOS CENTROS DE INTERFACE TECNOLÓGICO (CIT)
Com esta iniciativa pretende -se capacitar os CIT e empresas, especialmente PME, nas atividades de I&D e inovação, potenciando a ligação das entidades do sistema de inovação e facilitar o acesso destas entidades a recursos humanos altamente qualificados, promovendo o emprego científico e qualificado, e aumentando o acesso a conhecimento.
Objetivos:
Potenciar o crescimento baseado no conhecimento e inovação;
Aumentar a capacidade produtiva de bens e serviços transacionáveis com maior valor acrescentado, especialmente nas PME;
Promover a maior colaboração entre a Ciência e a Indústria;
Fortalecer o investimento privado em I&D;
Estimular a criação de emprego qualificado.

Medidas de Apoio:
Financiamento plurianual; Projetos de inovação empresarial; Novas estruturas de interface; Modernização de equipamentos; Internacionalização; Doutoramentos em empresas; Docentes na indústria; Inserção de jovens técnicos; Intercâmbio com parceiros europeus; Eficiência energética; Economia Circular; Indústria 4.0